23 de abril de 2008

Meme?

Fiorini me intimou pra uma meme.... não sou lá grande adepto dessas coisas, uma vez que cometi um orkutcídio e meço um tanto as palavras para salvaguardar a privacidade que eu acho que tenho....., mas vamos lá:

1° - A pessoa selecionada deve fazer uma lista com 8 coisas que gostaria de fazer antes de morrer.
2° - É necessário que se faça uma postagem relacionando estas 8 coisas, não importando o que seja, é necessário que a pessoa explique as regras do jogo.
3° - Ao finalizar devemos convidar 8 parceiros de blogs amigos.
4° - Deixar um comentário no blog de quem nos convidou e nos nossos convidados, para que saibam da intimação.

1 - Terminar minha coleção do Nirvana
Afinal, a última coisa boa do século vinte deve estar entre os meus CD`s...

2 - Comprar uma chácara

Dessas bem grandes e espaçosas.... pois com a crise na produção de alimentos, eu quero garantir o meu...

3 - Ter meus filhos

Qual a graça de ter uma chácara se ela não tiver barulho?

4 - Tunar um Ford Maverick
Ah, um Maveco V8, todo mexido.... e uma Airtrek para minha digníssima esposa. (eu devo ser um daqueles antiquados que acreditam no romantismo e no casamento, ainda...)

5 - Passar 2 anos na Europa
Entre estudo, trabalho, festivais de rock, luas-de-mel e crianças, uma temporada no Velho Mundo.

6 - Publicar meus livros
Tenho uma trilogia, um livro de contos e um thriller para publicar. Quem sabe minha esposa me ajuda a organizar as idéias...

7 - Montar uma biblioteca
Porque livros são necessários, e eu quero ler e ter todos os que eu puder.

8 - Nunca me divorciar

Não gosto da idéia de ser enganado, ou de casar com a pessoa errada, até porque, seria um desperdício de tempo. Pois já que aqui estamos, porque perder tempo com idiotices que apenas criam rugas a mais? E não acho que Deus permitiria uma infelicidade deste tamanho.

Bom, como não tenho muito blogs "íntimos", vou estender esa meme aos meus amigos:
Rodolfo, do Coxafrango;
Lady Sarah, do Meu Deserto do Real;

Have Fun!

22 de abril de 2008

Comemorações e Expiações

Há algum tempo atrás - não sei precisar se poucos meses ou várias semanas - ocorreu uma devassa no meu departamento. Todos os dados compilados do trabalho que foi executado no último trimestre foi visto e revisto, e passamos com louvor pelo exame. Não fora encontrado nada que desabonasse nosso departamento, merecendo uma citação do superintendente.

Foi um tempo de comemoração, afinal, nosso trabalho foi feito muito bem, observamos as regras e ainda as mantivemso intactas, sem extrapolá-las. Entrentanto, quando a equipe ganha uma recomendação tão boa, porque nunca é ela que vai á comemoração, mas sim seu gestor? Sempre são os chefes que vencem, que ganham, que obtém bons resultados, ganhando visibilidade. A equipe atrás dele é merecedora de citação, mas a honraria não via pra ela, vai para quem nela mandou - mesmo que sua presença só tenha sido requisitada em poucos momentos.

Os chefes foram comemorar os resultados. Nós, bem, fomos pra casa com um tapinha nas costas. Quando vencedores, quem é chefe ganha. Quando perdedores, equipes inteiras dividem a culpa.

Engraçado, não? Mesmo que o chefe tenha obstruído as coisas, atrapalhado o desenvolvimento das soluções e ajudado com sua autoridade a resolver situações, a culpa será digerida por todos, e o chefe se fará de coitado - salvo raras exceções. Divertido como em momentos de expiação, todos devem colaborar, mas em momentos de celebração, usualmente um apenas o fará.

Onde quero chegar com isso?

Primeiro, que eu gostaria da minha parte no quinhão. Afinal, eu também me desdobrei. Mas nunca é o suficiente, posto que em ambientes competitivos, tudo é disputa e tudo é motivo para inveja ou viradas de mesa. Segundo, que apenas nossos chefes comemorarem ganhos os quais viram, mas pouco tocaram, é um tanto frustrante.

A culpa envolve a equipe. A vitória cabe ao chefe. Os executores, soldados e cabos que na batalha de fato estiveram, jamais serão lembrados, pois seus nomes são números mutáveis no quadro de funcionários. Importa quem está acima deles. 

17 de abril de 2008

O cabresto digital

Quem está ligado, sab que a Justiça Brasileira (essa coisa abjeta, falha e burra) está tentando tirar o WordPress.com dos ares tupiniquins, porque 1 (UM!) blog estava veiculando informações ofensivas.

Bem, eu não sei o que esse blog imbecil tinha em seu conteúdo, mas após o caso Cicarelli, abriu-se um precedente: agora, no Brasil, uma ordem judicial pode bloquear um site inteiro, privando as pessoas de terem acessso a informações variadas, não apenas sacanagem e porcarias em geral; afinal, a internet é amoral.

As mudanças e a velocidade destas, provocadas pela internet, ameaçam diretamente o quarto poder (haja visto a campanha do Estadão para desacreditar os blogueiros) e sua libertinagem de expressão cria um ambiente perigoso: a difamação via orkut, o bullying que continua fora da escola; mas também a exposiçao da verdade diante de outros pontos de vista, não apenas o aprovado pelo Estado (alguém aí disse China?)

Aqui no Brasil tivemos casos mais contundentes de censura velada: Alcinéa Cavalcante, a mulher que enfrentou Sarney e sobreviveu pra contar, e Altino Machado, que delatou os abusos de um playboyzinho e tomou na cabeça pela família poderosa do rapaz - que não sabe educar seus filhos, ao ponto de vermos abusos como este.

Agora, um sistema de blogs inteiro está para ser bloqueado pelos velhotes caquéticos do Governo. Logo depois, virá a perseguição política, porque PT e seus asseclas não gostam de idéias contrárias ás suas, tampouco gostam de pessoas expressando livremente o que pensam. Afinal, quem somos nós, senão uma zelite endinheirada e egoísta? Para eles, temos mais é que nos calar.... e o resto você lê no Mídia sem Máscara.

Se o bloqueio ocorrer, não vai durar muito, pois haverá uma moção contra essa ordem ridícula. Mas depois de Cicarelli, podemos esperar novos demandes das ratazanas que se instalaram no comando da máquina estatal. Ele estão chegando, com bloqueios, processos e assédio moral dos mais variados e torpes tipos. Sugiro nos preparamos para estorvar e protestar (aprendam com os argentinos). 

16 de abril de 2008

Sobre dúvidas

Ter dúvidas de tudo faz parte do ser humano. Afinal, ela que é a mola-motor da ciência, que destronou Deus e se colocou em seu trono, repondo dogmas católicos embasados em experimentos e estudos (sem levar em conta a força de vontade do indivíduo)

Mas e quando as dúvidas se sobrepõe, uma á outra, de modo que a confiança fica abalada, embora ainda haja um verniz fosco e escuro dela?

Quando alguma coisa parece boa demais pra ser verdade - o emprego, a casa, a realização, a pessoa amada - começamos a duvidar. E em alguns casos, gera problemas violentos, como estresse, ciúmes e coisas assim.

Cai bem a pergunta: onde eu quero chegar com isso?

Bem, a desconfiança faz parte de tudo. A fé cega jamais deve haver, pois ela destrói o raciocínio e mortifica o senso crítico. Mas quando a dúvida é excessiva, quando a inquietação que ela causa está a causar problemas de saúde, quando há lutas de proporções dantescas dentro de sua mente - ao ponto de lhe causar dor - o que dá pra fazer?

Honestamente, eu não sei. Confiar desconfiando não é uma antítese que cabe na ação humana, mas ela é aberta a paradoxos e ações díspares. Creio que a forma de matar a dúvida é relativamente simples: encontrar uma forma de ter certeza, alguma coisa que te faça confiar. Seja num relacionamento, seja numa realização.

Ao som de Shadow of Doubt, trilha sonora do anime Escaflowne. 

14 de abril de 2008

Mau Dia

Sabe aqueles dias em que você não quer trabalhar, não quer se levantar e nem quer fazer absolutamente nada?

E para piorar, não há nada que excite seu dia, que o obrigue a fazer suas coisas, tampouco algum sinal de ânimo a não ser o almoço que já se foi.

Não há leituras boas, pois não há vontade de ler. A preguiça toma conta.

O perfume dela inebria as lembranças, causando ainda mais torpor. O toque de sua pele macia é reconstruído á perfeição em toda a extenção da minha. Os olhos amendoados e negros aparecem nas paredes.

As notícias são sempre as mesmas, onde pessoas morrem, pobres não enriqueceram, políticos não foram presos....

Um dia em que tudo coopera para que não haja produção. Não haja nada que gere lucro ás minhas custas. Apenas o desejo de não estar ali, e amargar mais uma segunda-feira.

Um mau dia.

11 de abril de 2008

A prostituta fiel

Prólogo: A Igreja é a Noiva de Cristo. A Igreja é uma meretriz. Cristo ama Sua Noiva (ainda que ela tenha sido infiél para com Ele muitas e muitas vezes). Será que ouço nisso ecos do profeta Oséias? (Sandro Baggio)

A Igreja sofre de um mal que causa intenso prazer em qualquer outra instituição. Todas buscam essa coisa, e tal coisa na igreja é perniciosa. Chama-se Tempo.

Ao remeter-se aos primórdios da igreja, nos idos de Pedro, Paulo e dos demais apóstolos, eles não tinham tempo: tinham uma obrigação urgente e direta, e suas reuniões eram sempre com um intuito simples: se reunir para oração e adoração, mais nada. Para ser um dos novos cristãos - tempos do império romano - bastava acreditar em Yeshua, confessá-lo e aceitá-lo, e o resto viria com o convívio e com os ensinamentos d eum para o outro.

A perseguição e os assassinatos de cristãos eram algo excelente: produziam a urgência da propagação do evangelho, e demonstravam a todos quem era bom e quem era o tirano. Os ensinamentos que Cristo deixou eram cheios de dispositivos que tornavam as torturas e mortes coisas muitíssimo bem vindas, o que causava confusão em quem estava de fora.

A falta de tempo era extremamente benéfica. Não causava dissenssões, todos eram aceitos e bem-vindos, os falsos e hipócritas não encontravam ali terreno para auto-promoção - quando não encontravam punição, como Ananias e Safira - e a coisa era solta de boca em boca, um por um, e cada pessoa ganha era celebrada com vontade e alegria.

Mas, quando a nova religião - agora denominada cristianismo - se tornou oficial no governo de Constantino, e após o Concílio de Nicéia, a coisa começou a desandar. Agora com mais folga, a igreja podia agora se reunir abertamente e com o apoio do Estado. Mas aí, alguem resolveu que Igreja e Estado deveriam ser uma coisa só. E começa a Idade Medieval.

Foi quando a igreja se tornou uma prostituta. Vendeu-se ao poder do Estado, e com ele podia legislar sobre a vida de fotos, travando seus desejos e perseguindo quem tivesse idéias que desafiassem suas leis, agora dogmas. Prostituída com o poder e com as riquezas, seus homens tinham que ser castos, mas havia todo um submundo que vivia sob as togas dos padres e prelados, onde até mesmo casas de protituição voltadas para prelados. Isso porque eu nem mencionei o quesito do luxo, dos impostos e das riquezas em forma de terras, influência, nobres e ouro.

Mas, a igreja é uma prostituta fiel. Ela é cíclica. Ela sempre volta ao seu ponto de partida, pois sempre alguém, em algum lugar, vai fazer com que ela volte ás origens e práticas antigas, se afastando da ostentação e do poder. Esse alguém foi Martin Luder, mas você o conhece como Martinho Lutero.

Ele não fora o primeiro. As revoltas contra a igreja foram várias, e muitos morreram nas mãos da prostituta. Wycliffe e Jonh Huss o precederam, afinal, quando sua consci6encia a acusa, a prostituta tende a não escutá-la, e até mesmo, tenta suprimir as vozes que a acusam de seus atos contra seu Noivo, maculando seu casamento.

Mas, o Noivo é perfeito, e traz a noiva - geralmente á revelia desta - de volta ao lugar do qual nunca deveria ter saído. E assim se fez a reforma protestante. Mas durante este caminho, a Igreja não quis ver que estava errada, e deu-se a Santa inquisição, e a Noite de São Bartolomeu.

Nos dias atuais, a prostituição da igreja não é maior, nem mais abrangente, nem mais veloz. Continua sendo prostituição com o poder - que pastores usam para cooptar ou coagir - com as riquezas - casal Hernandes, só pra começar - e com a mentira - de demagogia a distorções totais da Bíblia.

Dentro da igreja, encontramos os hipócritas, os falsos, os mentirosos, e toda uma variedade de pessoas que estão ali para qualquer coisa, menos honrar a Quem o templo foi erigido. As coreografias de mãozinhas pra cima na hora do louvor sucumbem diante dos atos terríveis do dia a dia. Brennan Manning, durante uma ceia com o dcTalk disse que a grande causa de ateísmo são os cristãos que confessam a Cristo com a boca, mas o negam pelo modo de vida.

Eu poderia discorrer enormidades sobre a infidelidade da igreja, e sobre sua prostituição d in;umeras facetas: de libertinagem á doutrinações coercitivas. Mas o Noivo ama sua igreja, e ele sabe que ela, apesar de ser uma prostituta, é fiel.

Dentro do mesmo templo onde encontramos os impostores, encontramos pessoas verdadeiras, que vivem a Verdade, e nõa são idiotas encabrestados. Mantém sua vida limpa e sua mente sã, e seu coração voltado para Cristo. São aqueles que são sinceros, apesar do que estão vendo dentro e fora da igreja.

Não é á toa que o próprio Jesus disse que os filhos das trevas são mais sábios que os filhos da luz. Eles nao têm amarras de doutrinas, dogmas imutáveis, e um bando de velhotes suja juventude abortada se reflete em leis e mais leis, regras sobre regras, recosturando o véu que Jesus rasgou.

A simbologia do Véu Rasgado é simples: agora, QUALQUER UM QUER QUISER pode ter acesso ao Pai. O Noivo encontrou um meio de fazer com que sua maculada Noiva seja aceita por seu Pai, através do sacrifício que todo o ser humano devia fazer, posto que ninguém é santo e todo mundo transgrediu a lei.

Por isso, quando me deparo com os absurdos da tag Crentes no Lance, do PavaBlog e coisas afins - especialmente o KK - fico exasperado, mas nao surpreso. A Igreja pode ser a representante de Cristo na terra, mas não faz seu trabalho com a maestria que seria precisa. Uma vez que é composta de um monte de seres humanos, falhos, ela também é falha. E posto que ela tem tempo: tempo para julgar, tempo para inventar doutrinas, tempo para compor corinhos, tempo para escrever livros, tempo para fazer shows, tempo para abrir lojinhas, não é de se admirar que ver bizarrices em nome de Deus conduza as pessoas á tirar com a nossa cara.

O mundo está cheio de mau-testemunho, isso é verdade. Milhares compõem as fileiras de desiludidos e machucados - quando não roubados e humilhados - pela igreja. Revoltam-se contra Deus porque sua representante não reflete exatamente sua imagem. Os poucos pontos limpos deste espelho não têm a abrangência necessária para que a imagem refletida seja total, embora sua reflexao seja fidelíssima (salvas as devidas proporções).

A prostituta fiel aguarda o dia em que finalmente vai ver seu Noivo, e terá que parar com seus atos promíscuos. Aqueles que foram fiéis, o que têm seus corações voltados para Deus, e os que observaram seus atos, receberão seus prêmios. Aqueles que se mantiverem em seus atos que maculam a Igreja, serão deixados e vomitados, de sorte que sua história será pagada da História. Afinal, os charlatães e mentirosos não constam nos livros, a não ser como tropeços dos heróis em notas de rodapé.

A igreja é uma prostituta, com muitos filhos ilegítimos, mas somos filhos dela, e devemos dela cuidar. Afinal, mãe é mãe. Santo Agostinho: A igreja é uma meretriz, mas ela também é minha mãe. Tenhamos consciência disso, e façamos o possível para que a prostituição da igreja seja suprimida ao máximo, afim de que através do testemunho tenhamos como recuperar os que se perderam por nossa causa.