11 de janeiro de 2007

Maconha

Uma das coisas que eu nunca fiz foi me drogar. Nunca fumei, nem injetei, nem cheirei, nem caí de porre; se bem que essa última anda muito próxima da acontecer.

Mas, nos últimos tempos, a maconha se tornou uma droga mais fácil de conseguir que pão. E um ex-policial fez um dvd pra não se mais preso com baseado. Ele se cansou de prender neguinho com um baseado na mão, e viu que a luta contra as drogas é como comer do fruto proibido: é melhor permitir e deixar que a pessoa julgue se quer ou não.

Álccol é droga e vicia. Nicotina é droga e vicia. Álccol deixa a pessoa num estado lastimável, e ele aliado á maconha dá uma larica do cão. Ambos deixam os olhos vermelhos.

Pensei se a chamada "luta contra as drogas" não é uma coisa meio hipócrita. Bem, vivemos em tempos onde a família é ridicularizada, mas quem a valoriza é tido como herói. Ando tendo idéias erradas, e começo a pensar que esse ano vai ser um desbunde pra mim: viagens, baladas, shows. Começo a me preocupar. Se a face que controla meus sonhos tomar o controle, eu serei pura alegria, e puro sadismo.

Penso que o combate ás drogas é algo que precisa ser repensado. Nunca se ganha, só se perde. Se perde, pois os viciados precisam de tratamento. Se perde, pois a opção de dizer sim ou não se esvanece no desejo pelo proibido. Se perde, pois os países produtores dependem da exportação de drogas pra manter seu PIB, como a Colômbia.

se o ser humano fosse evoluído como deveria, saberia manter seu corpo são, e saberia que seu bem-estar depende do ebm-estar dos outros. Um cigarro de maconha, num fim de semana com os amigos, francamente, não faz mal. Um porre na balada, é de praxe. Um cigarro quando atormetados, é normal. Anormal é depender deles, e culminar que seu corpo passe a usá-los como fonte de alegria e bem-estar, enquanto se deteriora.

Mas as drogas estão aí desde o começo dos tempos. A burrice não é deixar de combatê-las. A burrice é se deixar levar pelos instintos adolescentes, e não pensar com clareza. Quer se drogar, vai fundo. Mas saiba fazer isso. Saiba que quando acordar, sua vida não mudou; ela continua como você a deixou. Apenas pense que pra onde você vai voltar depende do que você fará hoje. Um fumo não vai te matar. O que vai te matar é a sua ilusão.