31 de julho de 2006

Angra

Uma das minhas músicas favoritas é Wishing Well. Sei lá porque.
Não digam nada ao Kiko Loureiro, mas por eu ser pobre e sem dinheiro, baixei a discografia, e agora, estou puxando os clipes do Angra. Legal. Já fiz isso com Rhapsody e o Dream Theater.

Uma coisa que agrada muito no Heavy Metal, especialmente o melódico, é a instrumentação. Ao contrário do Heavy seminal do Iron Maiden, ouvir uma coisa menos gritada e menos agressiva, com direito á baladinhas como a canção mencionada, é algo que cai bem á qualquer hora do dia. Iron pede que você esteja no espírito. Angra e Dream Theater só pedem para serem ouvidos.

Sempre bom quando uma banda brasileira é aceita pelos musicistas do norte. O trabalho reconhecido internacionalmente, em um estilo musical que é o mesmo em qualquer lugar do mundo - ocidental - é algo que orgulha e incentiva os metaleiros tupiniquins. Nesse ramo, Angra e Sepultura levaram a foice que abriu caminho para outras bandas daqui.

Os críticos de musica - especialmente os das revistas Veja e coisas afins - sempre maldizem o Heavy melódico. Cansei de ver o Apocalyptica - pra quem eu não pago um pau, mas uma floresta equatorial - ser massacrado pela crítica brasileira. Ou então, ver o Angra arrebatar multidões em seus parcos shows no Brasil e ainda assim, ter que ler que "já fizeram melhor".

Ao Angra - Foi mal usar a internet. Prometo comprar cd's originais, afinal, eu quero que continuem gravando.

26 de julho de 2006

Uma profissão em extinção.

Prostitutas estão ficando cada vez mais raras. As profissionais do sexo estão ficando - creia-me - desempregadas.
Eu estava no link ao lado - o único que funciona ainda - quando o link abaixo - Gatas - me chamou a atenção. É mulher, cacete, vou me negar isso? To sem namorada, ao menos apreciar o belo sexo oposto.
Qual não foi minha desagradável surpresa ao me deparar com flog sensuais, com fotos de meninas de 15 anos. Ora. Fotos provocantes, fazendo charme, usando roupas coladas, dignas de revista VIP. Em resumo: pedofilia o caramba; elas estão provocando por vontade. Aí chega alguém e passa a maõ em suas firmes bundas, acham ruim.
Pra que desperdiçar dinheiro com prostitutas se essas meninas estão em qualquer boate, liberadas por suas famílias, devidamente preparadas para evitar a concepção e afim de qualquer aventura sexual? Contar para suas amigas o garoto que elas pegaram, e relatar a transa; e assim, suas fotos ficarem cada vez mais quente.

Certa vez eu peguntei pra um amigo: o que é vulgar: a nudez total ou parcial? Ele travou. A beleza da revista Playboy acaba quando você finalmente leva uma pra casa. Afinal, a beleza da sensualidade está no mistério. E a beleza da nudez está em justamente fugir do aspecto sexual.
Viajando entre flogs, descubro uma das associadas do Suicide Girls. Ela - mais branca que a parede da cozinha - estava totalmente nua. Sério, inteira. Mas seus vinte e tantos anos lhes davam alguma bagagem. Ela estava nua, sensual, mas não vulgar. Se fosse pra ser uma "pornstar", não teria depilado tudo e as fotos não seriam inteiras: mas closes em suas pernas abertas. E isso não ocorria.

Legal. Aquela mulher estava muito mais bela que as crianças de seios em poses duvidosas.
Onde você quer chegar, Godspeed? Simples: a erotização precoce das meninas - para que os mercados farmacêuticos, de moda, de cosméticos e tal possam ganhar mais por mais tempo - criou uma geração de meninas que não conhecem o direito á inocência - o direito de não saber.

Eu já disse que a Ignorância, em certos casos, é uma bênção. Sexo é bom, pode crer. Mas desde que você saiba o que está fazendo. E essas meninas em seus flogs, provocando e usando sua sensualidade pra quem quiser olhar são chamarizes de maníacos e depravados.

Sinto em lhes dizer: fêmeas, há demais. Mulheres estão em falta.

25 de julho de 2006

Não

O Trabalho danifica o homem.
Isso é fato.
mas eu não vim até aqui hoje discorrer acerca dessa frase. Vim discorrer acerca do meu trabalho.

Sim, eu trabalho. E adoro o o que eu faço. Mas como diria Sartre, "o inferno são os outros".
Isso é uma verdade. Tem tanta gente legislando sobre o que eu faço que isso acaba sufocando. É pitaco daqui, é gente que acha que sabe me "ensinando".....o mais interessante é o seguinte: primeiro há a criação, a vinda á existência do artefato a ser utilizado na divulgação. Depois disso, é que as pessoas virão - em especial um ser com mais, bem mais que 120 quilos - e apitarão, achando que sabem muito; achando que isso é trabalho em equipe.

Caciques demais, e índios de menos. Infelizmente, chefes são pessoas geralmente incapazes que usam o trabalho dos outros para poder se erguer. Quando são pessoas decentes, existe liderança, e não gerência. Quando há o último, não há qualquer perspectiva de crescimento.

E assim caminha a empresa onde eu trabalho. Ou uma única pessoa é demitida e toda a empresa se regozija com isso, ou então haverão bodes expitaórios. A começar de mim.

21 de julho de 2006

Esse é meu terceiro blog. Inútil, não?
Não.
Não porque meu primeiro se esvaneceu no tempo. Eu gostava dele, e quando comecei a trabalhar, tive que deixá-lo. Até porque, a onda da blogosfera tinha acabado. E os adolescentes estavam agora embarcando nos flogs, e na ascenção do Orkut, hoje uma coisa plenamente dispensável.
O segundo foi aquele MSN Spaces. Sinceramente, adoraria poder mantê-lo, mas está difícil. Onde eu trabalho, os acessos ao MSN são bloqueados. E por mais que eu consiga burlar o proxy, eu aprecio um acesso direto.
Agora esse. Não posso dizer se o fiz para aparecer, ou se o fiz apenas por fazer. Agora blogs são coisas um pouco mais sérias...perderam a aura de "onda do momento". Legal. Posso fazer alguma coisa mais séria aqui, e abusar um pouco da retórica e da argumentação.

Gosto de escrever, e pretendo terminar meu Orkut. Ando meio revoltado com esse site. Já reencontrei quem eu queria, e até quem eu não queria. Num certo grau, até melhor vai ser se eu me mandar de lá. Mantendo um blog, ainda é possível manter um pouco de contato com as pessoas.

Um de meus amigos está se "descybernetizando". Tinha um blog que foi excluído. Está terminando o MSN e o Orkut. Porquê? Simples: menos dor de cabeça. Se preocupar em entrar toda a vez que alguém te deixa um scrap toma tempo. E a contar a quantidade de vírus e porcarias que rolam lá, a coisa começa a irritar. Talvez eu o siga. talvez não. Em todo o caso, abro o Godspeed por apenas uma única razão:

Eu gosto de escrever. Não que eu tenha talento pra coisa, mas apenas porque eu gosto.


Nine Inch nails - All the love in the world.

20 de julho de 2006

Kyrie Eleyson

Kyrie, rex genitor ingenite, vera essentia, eleyson.
Kyrie, luminis fons rerumque conditor, eleyson.
Kyrie, qui nos tuæ imaginis signasti specie, eleyson.
Christe, Dei forma humana particeps, eleyson.
Christe, lux oriens per quem sunt omnia, eleyson.
Christe, qui perfecta es sapientia, eleyson.
Kyrie, spiritus vivifice, vitæ vis, eleyson.
Kyrie, utriqusque vapor in quo cuncta, eleyson.
Kyrie, expurgator scelerum et largitor gratitæ; quæsumus propter nostrasoffensas noli nos relinquere, O consolator dolentis animæ, eleyson (ed. Burntisland, 929).

[Lord, King and Father unbegotten, True Essence of the Godhead, have mercy on us.
Lord, Fount of light and Creator of all things, have mercy on us.
Lord, Thou who hast signed us with the seal of Thine image, have mercy on us.
Christ, True God and True Man, have mercy on us.
Christ, Rising Sun, through whom are all things, have mercy on us.
Christ, Perfection of Wisdom, have mercy on us.
Lord, vivifying Spirit and power of life, have mercy on us.
Lord, Breath of the Father and the Son, in Whom are all things, have mercy on us.
Lord, Purger of sin and Almoner of grace, we beseech Thee abandon us notbecause of our Sins, O Consoler of the sorrowing soul, have mercy on us